Bloco de oposição e entidades preparam mobilização contra a reforma da Previdência

27

Diante da expectativa em torno do texto da reforma da Previdência, que deve ser encaminhado ao Congresso Nacional nos próximos dias, o Unacon Sindical intensificou o trabalho parlamentar nesta semana. Ontem, quarta-feira, 13, Rudinei Marques e Bráulio Cerqueira, presidente e secretário executivo do Sindicato, participaram do debate promovido pelas lideranças do PDT, PSB e PC do B, pela manhã. Mais tarde, os dirigentes integraram a reunião prévia da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Previdência, que deve ser lançada no dia 20 de março. 

 

No encontro com as lideranças dos partidos que compõem um bloco de oposição ao governo, Rudinei Marques destacou que a proposta de reforma da Previdência tem que ser construída a partir de um debate técnico e responsável.  Ele criticou a divulgação de projeções sem embasamento: “anunciam a economia de R$ 1 tri, sem dizer de onde vêm os números”.

 

O deputado Orlando Silva (PCdoB/SP) ressaltou a necessidade de que sejam “fixados os parâmetros básicos” em relação ao papel da Previdência para a sociedade brasileira. “É preciso inteligência política, capacidade de argumentar e desmistificar o tema. Previdência é direito e não negócio”, afirmou.

 

Para o deputado Tadeu Alencar (PSB/PE), a atuação das entidades de classe será, mais uma vez, decisiva para que o tema não seja encaminhado de maneira imprudente.  “A proposta de reforma anterior, de Michel Temer, veio acompanhada de uma propaganda insidiosa, em especial contra as carreiras públicas, mas a categoria resistiu e impôs uma dura derrota ao governo”, afirmou, observando, ainda, que “mais do que reativo, o movimento sindical precisa ser propositivo”.  

 

CAPITALIZAÇÃO

A proposta de capitalização da Previdência, que constava na minuta divulgada pela imprensa na semana passada, foi alvo de duras críticas. Mauro Benevides Filho (PDT/CE) alertou para os riscos da introdução do sistema associado ao fim do regime de repartição.  Segundo ele, a adoção dessa metodologia resultou na redução substancial dos valores de aposentadorias no Chile.

 

À tarde, na reunião da Frente Parlamentar, a convocação das entidades à luta foi reforçada pelo deputado Marcon  (PT-RS), que enfatizou a importância de um engajamento ainda maior, diante da nova composição do Congresso.

 

Para o líder do DEM, deputado Elmar Nascimento (BA), ainda é cedo para o debate de pontos da reforma e é preciso esperar o texto do Executivo chegar ao Congresso. “É urgente, mas é necessário, exatamente pela seriedade do tema, que a gente trate com rapidez, mas com muito cuidado, paciência e diálogo para que a gente possa encontrar o caminho.”

 

Até o momento, 70 deputados e 2 senadores se inscreveram na Frente Parlamentar Mista em Defesa da Previdência.

 

O Unacon Sindical segue atento às movimentações. A busca pelo diálogo ainda é a principal estratégia.